Oficina Empreendedora


Após iniciar o ministério com mulheres, eu, que sempre trabalhei na área de beleza e venda de cosméticos, comecei a graduação de Marketing. Já era de se esperar que isto seria também para a glória de Deus. Comecei em 2013 as Oficinas Empreendedoras com um grupo de mulheres que queriam montar algo mas não sabiam como começar. Ou aquelas que já tinham o seu empreendimento, mas não sabiam nada sobre marketing e gestão. Começou aí a minha segunda paixão, depois do Mulher Plena: a Oficina Empreendedora, que agora ganhou um site e está crescendo! Venha participar também!
Networking
Empreendedoras em contato com empreendedoras. Troca de experiências e valores.
Oficina Criativa
Aprenda como a criatividade é essencial para o seu negócio.
Descubra-se!
Mapa do Sucesso
Técnicas de marketing para alcançar o seu público alvo com eficiência e sucesso.
Marketing de relacionamento
Aprenda a fornecer soluções e manter um relacionamento rentável com seus clientes. Uma empresa excelente se preocupa em apresentar um atendimento personalizado e cativa a confiança do consumidor.
Desenvolvimento
Aplicação de técnicas, conceitos e exercícios para a descoberta dos talentos para um direcionamento à área em que se deve empreender. – Conhecimento de como e por onde começar o seu negócio.
Resultado
Estar apta para escolher e desenvolver seu empreendimento de acordo com seus dons, gostos e personalidade.
Avançado
Empreendedoras que já tem o seu negócio e querem aprimorar suas técnicas e promover o crescimento e posicionamento no mercado.
Quem criou
Carlucia Oliveira, é graduanda em Marketing, Pastora, fundadora do ministério Mulher Plena, ministra palestras sobre espiritualidade, desenvolvimento pessoal e empreendedorismo para mulheres.
Clique aqui e conheça.

Mini curso gratuito de empreendedorismo feminino por e-mail




Chegou o grande dia de pôr em prática um lindo projeto: O mini curso gratuito de Empreendedorismo Feminino por e-mail!

Um projeto que surgiu no meu coração para distribuir por e-mail parte das palestras que desenvolvo na área de empreendedorismo feminino, como a Oficina Empreendedora.

Fico muito feliz porque sempre recebo o contato das leitoras dos blogs Mulher Plena e Projeto Mulheres Virtuosas e essa dinâmica de fornecer conteúdo que agregue valor à vidas é inestimável.

Como vai funcionar este projeto?

Você se inscreve e imediatamente, recebe o e-mail de boas-vindas. Daí, a cada 3 dias, recebe a aula 2 até a aula 10. Na aula 02 e na aula 10, inclusive, tem uma ferramenta para você baixar e escrever e identificar seus talentos natos.

Tópicos que serão abordados:

  1. O que é empreendedorismo
  2. Descubra-se como empreendedora (com ferramenta para baixar)
  3. Seu talento é o ponto chave
  4. Como validar a sua ideia
  5. Como fazer pesquisa de mercado
  6. Como segmentar seus clientes
  7. Como divulgar sua empresa
  8. Legalize-se
  9. Planeje o crescimento
  10. Seja a maior fã do seu negócio (com ferramenta para baixar)

E aí, vamos começar?

Não perca a oportunidade, espalhe para as amigas e inscreva-se agora mesmo!


Em breve, teremos um bate-papo on line sobre o curso.

Deus abençoe a sua vida! Até a próxima!

“Determinarás tu algum negócio, e ser-te-á firme, e a luz brilhará em teus caminhos.” (Jó 22:27)

Dicas de gestão para empreendedoras


Abrir um negócio é sempre um grande desafio. Muitos empreendedores se concentram apenas na ideia e esquecem o principal: elaborar um bom planejamento estratégico e financeiro. A cada 100 empresas abertas no Brasil, pouco mais de 75 sobrevivem ao primeiro ano, segundo o Sebrae.

Para Vinícius Roveda, fundador da ContaAzul, empresa que oferece serviços de gestão online para pequenas empresas, os cuidados dos empreendedores iniciantes devem ser redobrados. Com o objetivo de ajudar quem está começando, ele listou 12 dicas para quem quer evitar os erros mais comuns ao abrir um negócio:

1. Compartilhe a sua ideia
Essa atitude, mesmo em um estágio inicial do negócio, pode economizar um bom tempo e muito dinheiro. Esqueça o medo de que alguém irá copiar o seu projeto e compartilhe o que pensa com outros empreendedores, principalmente com aqueles que já tiveram alguma experiência semelhante.

2. Valide o seu modelo de negócio
Roveda afirma que a falta de planejamento é uma das principais causas de mortalidade das empresas. Os erros são comuns, mas o importante, segundo ele, é que as falhas sejam encaradas como um aprendizado. O ideal é testar e validar seu negócio o mais rápidamente possível – e não ter medo de mudar completamente a estratégia caso seja preciso. Lembre-se de que, se você invalida uma ideia em pouco tempo, o prejuízo é menor. O canvas é um modelo bastante útil para elaborar seu plano de negócios. Aprenda aqui a fazê-lo.

3. Conheça profundamente os seus clientes
Quanto mais você conhecer o seu cliente, maior será a probabilidade de você ter sucesso. Mas não basta apenas ter informações do tamanho do seu público-alvo e de sua preferência. Também é importante entender o comportamento, os hábitos e as rotinas de quem você quer atingir. Com essas informações em mãos, é possível personalizar produtos ou serviços, conquistar os usuários e obter sucesso mais facilmente.

4. Fuja da informalidade
Empreendedores iniciantes se veem tentados a começar suas atividades de maneira informal. A intenção principal é fugir dos impostos. No entanto, sem a formalização, o seu negócio fica impedido de crescer. A capacidade de emitir nota fiscal, criar uma conta bancária como pessoa jurídica, obter máquinas de cartão de crédito e solicitar empréstimos públicos é exclusiva para quem tem um CNPJ.

5. Seja um bom gestor administrativo
Ter experiência no ramo de atuação é importante, mas não é tudo. Boa parte dos empreendedores iniciantes acredita que é possível administrar uma empresa com o conhecimento adquirido em uma graduação específica. Para Roveda, tal postura é inadequada. Sem conhecimento em administração, o empresário corre o risco de ver o negócio afundar.

6. Tenha uma vida financeira organizada
Muitos empreendedores vivem mergulhados em uma completa desorganização financeira, algo terrível para os negócios. Para “sair do vermelho”, o primeiro passo é organizar seu fluxo de caixa. Com planilhas simples, é possível controlar os valores que entram e saem, inclusive com previsões futuras. Alguns softwares de gestão auxiliam o controle financeiro, informando o que vence e o que deverá entrar no seu caixa. Dessa forma o empresário terá total controle da situação monetária e poderá planejar o crescimento saudável do negócio.

7. Separe despesas pessoais e empresariais
Às vezes, por causa de apertos financeiros ou pura desorganização, o empreendedor usa o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais – ou vice-versa. Segundo Roveda, esse é um dos erros mais comuns entre os donos de pequenos negócios. Ele recomenda que o empreendedor fixe uma retirada mensal dos ganhos do negócio – valor tecnicamente chamado de pró-labore – e reinvista o resto dos lucros na própria empresa, estimulando seu crescimento.

8. Defina o valor do seu produto de maneira consciente
Empreendedores iniciantes também costumam errar muito na hora de definir a margem de lucro e fixar preços de produtos. É comum encontrar empresários que vendem muito, mas se queixam de não ver o dinheiro entrar. Isso acontece em razão de cálculos equivocados. Saiba que há técnicas corretas para definir margens de lucro e preço de produtos e serviços. Se você não as conhece, está na hora de rever as finanças da empresa, segundo Roveda.

9. Saiba negociar
Cortar gastos e economizar ao máximo: o empreendedor que pensa assim vai longe, de acordo com o fundador da ContaAzul. Uma estratégia importante para conseguir o melhor aproveitamento dos recursos é negociar com os fornecedores. Se você tiver um bom fluxo de caixa, conseguirá fazer compras grandes com pagamento à vista, o que pode significar custos menores na hora de repor o estoque e lucros mais altos no momento das vendas.

10. Gerencie seu estoque
O gerenciamento de estoque também é um dos pontos fundamentais para o sucesso de um negócio, seja ele virtual ou físico. Todo empreendedor deve ter em mente que, se vender, precisa entregar. Por este motivo, é importante saber exatamente a quantidade de cada item disponível. Caso você trabalhe com mercadorias de curto prazo de validade, o controle deve ser ainda mais rigoroso.

11. Adote estratégias de comunicação
Estratégias de comunicação devem ser adotadas em qualquer negócio, seja ele de grande ou pequeno porte. Algumas medidas criativas podem ser adotadas sem grandes custos. Uma newsletter para o e-mail dos seus clientes, informando sobre novidades e promoções, é uma forma relativamente barata de informá-los. As redes sociais, segundo Roveda, não podem ser deixadas de lado.

12. Seja criativo
O fundador da ContaAzul não acredita que seja preciso “reinventar a roda”. Mas soluções criativas e diferenciais exclusivos são decisivos para levar sua empresa ao sucesso.

Fonte: Pequenas Empresas, Grandes Negócios.
http://goo.gl/rCC8vV

Black Friday


Black Friday é um termo criado pelo varejo nos Estados Unidos para nomear ação de vendas anual, que acontece sempre na última sexta-feira de novembro após o feriado de Ação de Graças.
Há vestígios de que a denominação surgiu no início dos anos 60 na Filadélfia, quando a polícia local chamava de Black Friday o dia seguinte ao feriado de Ação de Graças. Havia sempre muitas pessoas e congestionamentos enormes, já que a data abria o período de compras para o natal. O termo já foi associado com a crise financeira que atingiu os Estados Unidos em 1869. Também passou a ser usado em 1966, mas só se tornou popular em 1975 quando o uso do termo passou a ser conhecido por meio de artigos publicados em jornais, que abordavam a loucura da cidade durante o evento. Já se referiu ao período de conforto financeiro para os varejistas. No início de 1980, foi criada uma teoria que usava a cor vermelha para se referir aos valores negativos de finanças e a cor preta para indicar valores positivos. O período negativo correspondia ao período de janeiro a novembro e o lucro acontecia ao dia seguinte ao Dia de Ação de Graças e permanecia até o final do ano. Alguns anos depois, Black Friday era o nome usado pelos varejistas para indicar o período de maior lucro e desde então é a data mais agitada do varejo no país. No dia do evento muitas lojas abrem bem cedo, algumas com até quatro horas de antecedência para atrair maior número de consumidores e oferecer os menores preços. Milhares de pessoas aguardam em filas enormes. Embora não seja um feriado, muitas pessoas ganham o dia de folga e se tornam consumidores com grande potencial. O dia também é conhecido por dar início à temporada de compras de natal. A popularidade do evento é grande, muitos consumidores consideram os descontos oferecidos mais atrativos do que os natalinos. A ideia vem sendo adotada por outros países como Canadá, Austrália, Reino Unido, Portugal,Paraguai e Brasil.

O volume de vendas é impressionantemente alto, visto que os descontos são realmente verdadeiros e os empresários americanos querem se livrar do estoque antigo para recebimento de novas mercadorias para venda no período natalino (4 semanas).

Black Friday no Brasil
O Black Friday chegou ao Brasil em 2010, por iniciativa de uma empresa especializada em busca de descontos. O primeiro Black Friday do Brasil aconteceu no dia 26 de novembro e foi totalmente online. A data reuniu mais de 50 lojas do varejo nacional. Os descontos oferecidos no Brasil foram mais modestos que os americanos, chegando a 40% em produtos de diferentes categorias. Assim como nos Estados Unidos, também acontece anualmente na quarta sexta-feira de novembro. Há registros de que o evento também aconteça em lojas físicas, pelo menos no Brasil . O terceiro Black Friday ocorreu em 23 de novembro de 2012, em mais de 300 lojas virtuais e foi a primeira vez que lojas de decoração participam do evento. As empresas Extra, Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Wal-Mart, Saraiva e Fast Shop também foram notificadas pelo Procon por indícios de descontos nas maquiagens.
Neste ano de 2013 será no dia 29 de novembro.

Adaptado de Wikipédia.

Networking a seu favor

Imagem: Google

O termo networking tem crescido no mundo corporativo. No entanto, nem sempre é utilizado de forma correta. O uso da rede informal de contatos para complementar nossos negócios deve ser encarado como algo importante e exige algumas observações:

1. Sua apresentação fala mais alto que você
Pesquisas mostram que a comunicação não verbal detém um impacto de 65% contra 35% da verbal. A famosa "primeira impressão" é uma forma das pessoas perceberem quem você é, o que faz e como faz.

2. Aparência impecável
Cheque roupas, sapatos, acessórios, unhas, cabelos, pele, maquiagem, sorriso. O conjunto deve estar harmônico e refletir a imagem que você pretende passar. 

3. Linguagem corporal
Estar atenta à postura deve ser constante, uma vez que o corpo fala por si só mediante os movimentos. Procure sentar-se ereta, movimentar-se discretamente e gesticular pouco.

4. Tenha conteúdo
Um networking é movido a trocas, baseado em parcerias e relacionamentos produtivos. Estude sobre sua área de atuação, tenha conteúdo para passar. Faça pesquisas, leia jornais, mas não se esqueça de buscar informações em fontes seguras.

5. Saiba ouvir
Não adianta se encher de conteúdo se não há trocas. Saiba ouvir a pessoa com quem estiver conversando. Assim, você absorve melhor o que ela tem a acrescentar e respeita o seu espaço.

6. O cartão de visitas
Seu cartão merece toda a atenção na hora da escolha do modelo, papel, gramatura, cores, etc. Um cartão de qualidade complementa sua imagem. Alinhe a escolha do cartão aos objetivos do seu negócio.

7. Seja coerente
Utilizando as dicas acima, aja com naturalidade, tendo como objetivo apresentar a missão e valores de sua empresa, utilizando o momento para trocas e parcerias relevantes, aprendendo e buscando agregar o que for aproveitável nas relações.

E você, o que achou do artigo?
Comente! Participe! Sua opinião é muito importante!

A tão desejada “fórmula do sucesso”, de fato, existe?

Ricardo Karpat

shutterstock_132519275

Ao longo das últimas décadas, o assunto Recursos Humanos foi ganhando cada vez mais espaço entre profissionais e empresas. Anualmente, milhares de artigos e centenas de livros são escritos explorando o tema. Psicólogos, administradores, economistas e empresários de renome discorrem sobre o assunto abordando estratégias e fórmulas, até então “secretas”, para obtenção do sucesso profissional.

Mas, será que existe uma fórmula? Difícil afirmar que sim, pois cada empresa e cada indivíduo, como a própria palavra diz, têm suas individualidades, com características particulares e únicas. Porém, existem duas características que estão presentes em toda empresa ou profissional de sucesso.

Trabalho árduo. Faça uma análise das empresas e profissionais de sucesso que você conhece, com certeza todos eles têm essa característica, ou pelo menos tiveram para chegar à posição que ocupam hoje. Tentando contrariar esse ponto de vista, algumas pessoas relatam conhecer profissionais que trabalham pouco, mas que são bem sucedidos. Isto pode até ser verdade, porém, se você aprofundar seu conhecimento sobre este profissional irá descobrir que, por um longo período, ele trabalhou arduamente para chegar à posição atual e desfrutar de tal regalia.

Pode ter certeza, ninguém chega ao sucesso profissional sem percorrer um longo caminho. E esse caminho é difícil de ser percorrido! Experiência não pode ser comprada, apenas adquirida e ela é obtida a custo de muitos erros e acertos.
Berço de ouro, herança, nada disso faz um profissional ter sucesso. Claro que pode facilitar, encurtar o caminho, afinal as oportunidades podem surgirem maior quantidade. Porem, são muitos os casos de filhos de empresários bem sucedidos que, ao assumirem as empresas dos pais, reduziram-nas a pó.

Está comprovado, estatisticamente, que grande parte dos herdeiros têm insucesso com as corporações herdadas. Por isso, nem sempre é bom cortar caminho como abordado anteriormente, apenas a experiência traz competência.
Uma boa equipe de trabalho. Ninguém é nada sozinho.  O empresário mais bem sucedido, da mais bem sucedida empresa do mundo, depende da recepcionista que atenderá ao telefone e direcionará a ligação para a área correta. O médico cirurgião especialista depende da anestesista, da enfermeira e da instrumentista para realizar uma cirurgia bem sucedida. Se um deles falhar, ele falhou. Assim como, caso sua secretaria não lhe transmita um recado, você não retornará à ligação, ficando mal visto por aquele que tentou contato.

Simples assim, dependemos de outras pessoas para sermos bem sucedidos. Então, temos que saber escolher quem trabalhará conosco. Esta escolha, em conjunto com a motivação e o relacionamento  da equipe, são os principais fatores para obtenção do sucesso - tanto de uma organização, quanto de um profissional. Ninguém é especialista em Marketing, Finanças, Contabilidade, Recursos Humanos, Segurança do trabalho, entre outras áreas fundamentais para tornar uma empresa acima da média. Profissionais altamente capacitados, especializados e comprometidos com sua equipe é o que diferencia uma corporação de sucesso das demais empresas do segmento.

Agora, se você ainda quer saber a resposta para a questão que dá título ao artigo que acabou de ler, junte trabalho árduo a uma boa equipe e estará muito mais próximo, não só da resposta, como da atingir esse objetivo.

Original: www.rhcentral.com.br

1º Encontro Empreendedoras Virtuosas






Ontem, dia 26, aconteceu o 1º Encontro Empreendedoras Virtuosas. Tivemos a presença de várias mulheres que já são e as que querem se tornar empreendedoras em uma tarde gratificante com bastante conhecimento, troca de ideias, parcerias e aumento da nossa rede de contatos. Ouvimos a história umas dasoutras, rimos bastante e enriquecemos nossos negócios!
Em breve anunciarei a data do próximo encontro!